Conversa com a Diretoria da ABEU - Suzete de Paula Bornatto

Conversa com a Diretoria da ABEU - Suzete de Paula Bornatto

Em 21/09/2015 00:00

Notícia por ABEU

Conversa com a Diretoria da ABEU - Suzete de Paula Bornatto

Voltamos para a reta final das Conversas com Diretoria da ABEU. Esta semana batemos um papo com a profa. Suzete de Paula Bornatto, Diretora da Região Sul da ABEU e também atual diretora da Editora da Universidade Federal do Paraná. Graduada em Letras pela UFPR e em Administração pela FAE, Suzete de Paula possui ainda mestrado e doutorado em Educação, na linha de História e Historiografia da Educação, ambos pela UFPR. Em 2010 fez estágio de doutoramento no Serviço de História da Educação do INRP, na França. É professora adjunta da UFPR, tendo atuado cerca de quinze anos no ensino básico. Na entrevista foi debatido o protagonismo da região sul na organização de feiras literárias e as ações da ABEU Sul para a integração de suas editoras universitárias.

1) Profa. Suzete, a região sul concentra boa parte das associadas da ABEU, devido ao grande número de universidades nessa parte do país. Como a senhora acredita que esse volume de editoras sulistas pode contribuir para a ABEU?

O Sul tem editoras consolidadas, algumas com um quadro de gestão bastante estável, com muita experiência para compartilhar com as demais, mas também editoras novas, de universidades e institutos criados recentemente. embora os orçamentos e as características de funcionamento variem, as dificuldades de gestão são semelhantes, então a ABEU se apresenta como o espaço para a discussão de caminhos e soluções e, por outro lado, é quem pode reunir as demandas coletivas para pleitear, em outras instâncias, amparo institucional e legal para a nossa atividade.

2) Consequentemente, a região também é responsável por um grande volume de ações locais de promoção da leitura e da venda de livros, como feiras e eventos literários. Como a senhora acha que esse cenário beneficia as editoras do Sul?

Este ano, como todos sabem, não está sendo propício aos eventos culturais em torno do livro - o cancelamento da tradicional Jornada de Passo Fundo é uma amostra disso - mas é imprescindível apostar na aproximação com o público que acontece nas feiras. Até o final do ano teremos pelo menos dois eventos desse tipo: em setembro, no Paraná, a XIII Feira do Livro Editora UFPR, em parceria com a Semana Literária do SESC/PR, e, no Rio Grande do Sul, em novembro, a 61a. edição da Feira do Livro de Porto Alegre, ocasião em que faremos a reunião da ABEU Sul. Felizmente, eventos desse tipo ocorrem em todo o Brasil e, graças à estrutura propiciada pela ABEU nacional, os livros circulam pelo país - só precisamos reduzir o impacto dos custos de transporte e resolver a questão da nota fiscal.

3) Pela força representada pelo mercado editorial do sul e sudeste, como a senhora acha que as editoras locais podem se integrar melhor a outras regiões mais remotas do Brasil?

Precisamos fortalecer o PIDL, como já ressaltou um colega da diretoria. É um programa excelente, que promove a circulação dos livros - ou seja, das pesquisas, do conhecimento, das traduções - mas cuja operacionalização precisa ser completamente assumida e respaldada pelas instituições universitárias. Desejamos que o PIDL seja mais conhecido do público, dos estudantes e professores do ensino superior - por outro lado, as editoras devem continuar investindo nas redes e eventos de divulgação - para gerar a demanda nessas regiões mais remotas.


Tags da postagem

Ordem e Eficiência Comportamento Social Nível de Informação