Catálogo Universitário

Em época de eleições, analisar criticamente a mídia é essencial

Em 21/10/2018 23:48

Opinião por ABEU

Catálogo Universitário

Não tínhamos como falar de outro tema na coluna Catálogo Universitário deste mês: eleições. Nunca vivemos um pleito que envolvesse opiniões tão acirradas, com eleitores debatendo à exaustão suas preferências políticas. Mas independente do que ocorre nas eleições, existe um personagem que está sempre presente, pautando as conversas, construindo a imagem dos candidatos e determinando as preferências dos eleitores: a mídia, que será o foco das nossas sugestões de leitura. Falar da mídia na atual situação é imprescindível, ainda mais em um momento em que tanto se debate sobre a disseminação de notícias falsas, ou “fake news”. Mas por este ser um fenômeno ainda bem recente, de fato as editoras universitárias não dispõem de livros que analisem o assunto e suas possíveis repercussões. Diante disso, nos restringimos a trazer títulos que ao menos ajudam a mostrar que a mídia tem, sim, poder de nortear a opinião pública em momentos decisivos. Portanto, confiram nossas dicas para aguentar esta época de incertezas.

Primeiro, vamos falar da obra Conexões (trans)fronteiriças: mídia, noticiabilidade e ambivalência”, e-book gratuito publicado pela EDUNILA. A obra apresenta análises das atividades noticiosas de diversos veículos de mídia: jornais impressos e on-line, revistas semanais, telejornais, portais e agências de notícias. Organizada por Ada Machado da Silveira e Isabel Padilha Guimarães, do grupo de pesquisa Comunicação, Identidades e Fronteiras, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), a obra aborda estas atividades jornalísticas encarando sua condição midiatizada, pautada por cânones técnicos estritos e atitude interpretante exterior à vida das sociedades a que se dedicam a reportar.

“Discursos simbólicos da mídia”, da Editora Leopoldianum, aborda os meios de comunicação de massa nas atuais sociedades tecnologizadas. Principalmente os veículos audiovisuais, liberados pela televisão, como sendo os responsáveis pelos processos de sedução e hipnose sobre o receptor. A velocidade da transmissão e a espetacularização da informação representam um processo de violência simbólica com objetivo de dominar o receptor, construir os sentidos.
A coletânea de artigos, em vários olhares, a construção de signos e significações dentro da linguagem da produção de bens simbólicos da moderna cultura midiática, ampliando e traduzindo a cadeia da informação e desinformação.

Por fim, trazemos um livro cujo autor afirma: o magistrado não está imune, como qualquer ser humano, às influências do meio sobre o seu exercício profissional. A partir dessa premissa, “O juiz e a mídia”, da Editora Unisinos, analisa em que medida aquilo que é veiculado pela mídia, muitas vezes expressão da opinião pública, pode afetar o princípio indispensável da imparcialidade de quem julga, essência do exercício da magistratura. É um estudo singular que demonstra ser possível conciliar a liberdade de expressão, a imparcialidade do juiz e o direito das partes no processo.

 

 


Tags da postagem

catálogo universitário mídia Eleições Nível de Informação Nível de Comunicação opinião