A Voz do Profissional

Maria Cristina Périgo, coordenadora de eventos e revisora de texto da Editora UFPR, conta sobre a organização da Feira do Livro da Editora UFPR

Cadastrado em 26/11/2018 00:40

Entrevista por ABEU

A Voz do Profissional

Na coluna A Voz do Profissional dessa semana, continuamos a trazer entrevistas que tratam de assuntos de interesse de todos que valorizam e trabalham com o livro universitário. Conversamos, então, com Maria Cristina Périgo, coordenadora de eventos e revisora de texto da Editora UFPR, que nos contou um pouco sobre a organização da Feira do Livro da Editora UFPR, que em 2018 chegou à sua 37ª edição. Graduada em Letras e especialista em Literatura Brasileira pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Périgo comenta sobre como a organização do evento traz oportunidades de divulgação para diversas editoras universitárias, ressaltando os desafios para a realização de uma feira desse porte com os recursos da Editora UFPR. Confira a entrevista completa abaixo:

1) Primeiramente, vamos tentar traçar uma trajetória histórica do evento. Como surgiu a Feira do Livro da Editora UFPR? De quem partiu a iniciativa e o que se buscava alcançar com a realização do evento?

 A Feira do Livro Editora UFPR foi criada em 2002 pelo então Diretor da Editora UFPR, Professor Luiz Carlos Ribeiro. Na época, o evento era chamado de Feira Universitária do Livro. Até 2009, a feira acontecia no Pátio da Reitoria da UFPR. Em razão da reforma das fachadas dos prédios que compreendem o complexo da Reitoria, o evento foi deslocado para a Praça Santos Andrade, em frente ao Prédio Histórico da UFPR, onde permanece até hoje. Nas últimas edições o evento vem sendo realizado em parceria com a Semana Literária & Feira do Livro Sesc.

O objetivo da Feira da Editora UFPR sempre foi, principalmente, divulgar a produção universitária, aproximando esta da comunidade em geral. Além disso, por meio de mesas-redondas, bate-papos com autores, oficinas, buscamos incentivar a leitura de qualidade, proporcionando aos visitantes da Feira uma produção cultural bastante diversificada.

2) Logicamente, existe um propósito comercial por trás das feiras de livros, ainda mais para as editoras universitárias, que se beneficiam muito desses tipos de eventos para a divulgação de suas publicações, uma vez que lidam com temas e obras que atendem a nichos de estudiosos e pesquisadores. Mas, para além deste fator, qual a representatividade de uma editora universitária tomar a iniciativa de promover um espaço de difusão do livro e da leitura?

A Feira representa uma iniciativa efetiva de acesso aos mais diversos livros – principalmente livros que não têm espaço nas editoras comerciais, de interesse, somente, das editoras universitárias, diga-se de passagem –, colocando ao alcance, não só do público acadêmico, mas da comunidade em geral, a produção da Editora UFPR e de várias outras editoras parceiras, com o elemento facilitador da prática de descontos especiais. Além disso, a Editora UFPR está atrelada a uma universidade pública, sendo assim, tem um dever importantíssimo na difusão do conhecimento.

3) Muitas das associadas da ABEU de diversos estados participam da Feira do Livro da Editora UFPR, enviando exemplares para que o público conheça seus títulos. Você acredita que seria relevante que outras editoras universitárias também organizassem eventos em suas universidades, ampliando a rede colaborativa entre essas entidades, permitindo que a Editora UFPR apresente seus livros no Pará, por exemplo? Como você acha que a EdUFPR poderia transferir sua experiência e orientar outras editoras a realizar o mesmo tipo de evento?

Uma feira organizada por uma editora universitária privilegia, acima de tudo, o livro universitário e serve como vitrine para as nossas editoras, que possuem pouco espaço e recursos para momentos como esse. Muitos livros bons só encontramos numa feira como a nossa.

A Editora UFPR sempre está de portas abertas para colaborar com as editoras parceiras. Inclusive, pode, eventualmente, se propor a reunir editoras para workshops ou palestras sobre os bastidores de organização desse tipo de evento. Contudo, o mais importante é que a equipe da editora interessada esteja disposta a colocar a mão na massa. É muito trabalho, com certeza, mas o retorno não é só financeiro. A feira é o momento de mostrar nosso catálogo e de contato direito com o público-leitor. Tudo isso é muito gratificante.


Tags da postagem

a voz do profissional entrevista Editora UFPR Nível de Informação Nível de Comunicação maria cristina périgo edufpr

Comentários

Para comentar, acesse com seu Passaporte Archipèlagus validado.

Acessar