ABEU Reflete

A ABEU lança hoje um novo espaço para debates sobre as atuais questões que envolvem o mercado editorial

Em 08/04/2020 17:26
Atualizado em 15/04/2020 11:43

Opinião por ABEU

ABEU Reflete

Momentos excepcionais pedem soluções extraordinárias. A atual crise pela qual todos os setores da economia passam requer novas ideias, reflexões e práticas. É por isso que a Associação Brasileira das Editoras Universitárias cria hoje um novo espaço que procura incitar o debate: o ABEU Reflete. Aqui traremos textos com perspectivas e reflexões sobre temas atuais. Para a estreia, apresentamos algumas palavras do Editor Executivo da Editora Fiocruz e ex-presidente da ABEU, João Canossa. Confira abaixo:

___________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Acabei de ser surpreendido com o convite da diretoria da nossa preciosa ABEU para abrir o que se pretende seja uma coluna sobre a Covid-19 e seus correlatos na visão do editor universitário, com a emenda: “você está na instituição referência neste momento”. Bem, texto iniciado; se será finalizado ou, mais grave, publicado... “a Deus pertence!”.

Estar na “instituição” multiplica responsabilidades e desafios neste momento. Mas, a modesto ver, a “referência” mais importante agora é a própria Vida. Vimos assistindo nos últimos tempos ataques os mais diversos àquilo que nos dá sustento, ao pão e à própria alma: o fazer científico e sua difusão. Não fosse o bastante, uma pandemia se instala entre nós e invade o mundo – ainda que não necessariamente nesta ordem. E, paradoxo dos paradoxos, vem de forma democrática, ocupando os territórios de desenvolvidos e de subdesenvolvidos, de abastados, remediados e amontoados, semizerando, inclusive, nossas possibilidades de convívio e demonstrações de afeto. Estamos sós, conosco mesmo, tendo que olhar olhos assombrados no espelho.

O que vejo na minha instituição são os estacionamentos esvaziados, os prédios sem cor (pois sem tantas vozes mais ou menos exaltadas ou fartos passos mais ou menos apressados), uns ou outros avançando ao sabor do estupefato (os essenciais, certamente). O campo de futebol vem cedendo vez a um emergente – e urgente – hospital e algumas notícias de gente da linha de frente já acometida. De onde virão os recursos? Os financeiros hão se aparecer, oxalá; os humanos sempre estiveram lá, nessa raça com raça e “orgulho de ser Fiocruz”.

O debate está além de cloroquinas e derivados, álcoois em gel, sabões, luvas ou máscaras. O debate está nas noites viradas, nas sucessivas e até emendadas reuniões virtuais, na exposição de uns quantos ao risco, na certeza de que solidariedade salvará tantas vidas ou mais que ventiladores mecânicos. E o debate é pra ontem, que minutos nessas horas contam muito.

Nosso futuro – e aí eu ouso falar do Brasil e do mundo – voltou a depender da ciência, da comunicação de qualidade, da informação precisa, dos capítulos e artigos das mais diversas áreas do saber, da divulgação científica... e da Política. Sim, da Política! Daquela que aposta sem vacilar em proteger e salvar a Vida de seus concidadãos, daquela que sabe que insciência e indiferença matarão mais que qualquer vírus oportunista.

João Canossa

Editor Executivo da Editora Fiocruz

(Fundação Oswaldo Cruz)


Tags da postagem

ABEU