Catálogo Universitário

O plágio na pesquisa acadêmica

Em 28/06/2020 16:31
Atualizado em 30/06/2020 18:06

Opinião por ABEU

Catálogo Universitário

Na última semana foi anunciado o novo ministro da Educação, mas logo surgiram suspeitas a respeito de plágio em sua dissertação de mestrado e inconsistências em seu currículo. Para entender um pouco do peso e consequências do plágio no âmbito da pesquisa acadêmica, a coluna Catálogo Universitário deste mês resolveu trazer algumas opções de leitura sobre o tema.

Primeiro, temos "Informação, direito autorial e plágio", publicado pela Editora UFPB e organizado por Guilherme Ataíde Dias e Bernardina Maria Juvenal Freire de Oliveira. Este livro apresenta uma coletânea de artigos do I Workshop em Informação, Direito Autoral e Plágio, realizado nos dias 22 e 23 de maio de 2013, no Auditório da Central de Aulas da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), sob a coordenação dos organizadores da obra, que são líderes dos grupos de pesquisa WRCO (Web, Representação do Conhecimento e Ontologias) e GECIMP (Grupo de Estudo e Pesquisa em Informação, Memória e Patrimônio), com o apoio do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação.

Em seguida, temos, "Plágio: palavras escondidas", publicado pela Editora Fiocruz e de autoria de Debora Diniz e Ana Terra. Aqui, a obra parte de situações já vividas por muitos professores, que, desconfiados, jogaram um trecho do trabalho de um aluno em um site de busca e descobriram que se tratava de plágio. Também é de conhecimento geral que a comunicação digital facilita essa má-conduta dos estudantes, que, cada vez mais preguiçosos, precisam ser punidos. Mas esse é apenas um lado de uma questão multifacetada, que ainda carece de reflexões e debates. Uma abordagem diferenciada e provocativa do assunto pode ser encontrada neste livro. As autoras não definem o plagiador como um ladrão nem consideram que o plágio deva ser criminalizado. Antes, preferem analisar o que acontece na academia e pode estar na gênese de tão mal falado - e mal fadado - comportamento. E, assim, demonstram a necessidade de uma maior sensibilização para a ética e a integridade acadêmica. As autoras não pretendem minimizar o problema do plágio. Pelo contrário: fazem críticas mordazes a quem adultera ou coloca a própria assinatura no trabalho alheio. O diferencial do livro, porém, é uma proposta de combate ao plágio que não se limite às sanções e que convide à reflexão. O objetivo é inquietar os leitores, estes atores-chave que podem ser muito mais eficientes que qualquer software caça-plágio. "São eles [os leitores] que dirão se nossa obra tem algo de criativo, inédito, original ou novo. Ou, simplesmente, se vale a pena lê-la", propõem as autoras.

Por fim, temos "Estudos de direito autoral em homenagem a José Carlos Costa Netto", da Edufba, obra coordenada por Rodrigo Moraes. O livro é uma compilação de artigos jurídicos, reunindo diversos autoralistas nacionais e internacionais, alguns jovens e ainda não conhecidos do grande público, outros já famosos e consagrados que abordam diversos temas, tais como: paródia, plágio, direitos morais do autor, direitos autorais do jornalista, entre muitos outros, cuja sua missão é propagar o Direito Autoral. É também uma homenagem a José Carlos Costa Netto, homem que, como jurista e cidadão, não desistiu de suas bandeiras, e dedicado à memória do saudoso compositor Fernando Brant.


Tags da postagem

catálogo universitário