Edusp retorna às impressões com quatro lançamentos

A editora realizou uma live para promover e discutir um dos lançamentos

Em 21/09/2020 11:29
Atualizado em 21/09/2020 14:41

Notícia por ABEU

Edusp retorna às impressões com quatro lançamentos

A Edusp retornou às impressões com quatro novas obras e um lançamento on-line. Os livros "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão; "Carmen de George Bizet", de Susan McClary; "Nicolas Poussin: Ideia da Paisagem", de Magnólia Costa; e "Astrofísica de Altas Energias: Uma Premiére", de Jorge E. Horvath, são as novidades editora. As obras, de diferentes áreas do conhecimento, estão disponíveis no site da Edusp para compra. 

Na última quarta-feira (16), a editora realizou ainda uma live para promover e discutir o lançamento da obra "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP". O debate on-line contou com a participação da organizadora do livro, Walnice Nogueira Galvão, comentários de Ligia Chiappini Moraes Leite e mediação de Maria Arminda do Nascimento Arruda. A transmissão ocorreu pelo canal da FFLCH no Youtube (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo), onde é possível assistir a gravação da live. 

Confira abaixo os resumos das obras:

1. "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão

Este livro apresenta depoimentos, entrevistas e conferências sobre a criação da FFLCH, fundada em 1934 com o nome de Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL). As entrevistas com Paul Arbousse-Bastide, Mário Schenberg, Florestan Fernandes, Ruy Coelho, Gilda de Mello e Souza e Fernando Henrique Cardoso, bem como os depoimentos de Candido Silva Dias, Antonio Candido e Michel Butor, relembram os anos iniciais da faculdade, que reunia filosofia, sociologia, psicologia, mas também física, química, biologia, geografia, matemática e afins. O conjunto dos textos destaca o papel dos professores visitantes franceses, alemães e italianos na formação da nova instituição, enquanto reflete sobre as modificações na Universidade, no ensino e na pesquisa no Brasil.

 

2. "Carmen de George Bizet", de Susan McClary

Desde a estreia da ópera Carmen, em 1875, a imagem convencional de sua protagonista é a de uma cigana sedutora, libertária, perigosa e autodestrutiva. Desafiando esse imaginário, Susan McClary apresenta sua pesquisa sobre a ópera de Bizet, seus personagens, sua dramaturgia e sua música, para então discutir questões de classe, gênero e raça. Com base em um repertório que abrange libretos, partituras, artigos de jornal, cartas e filmes, entre outras fontes, a autora aborda a gênese da ópera e as divergências entre Bizet e os libretistas; discute as visões oitocentistas sobre a mulher e os ciganos; explora as influências musicais do compositor, da música de cabaré aos aportes wagnerianos; analisa diretamente a partitura e seus grandes blocos musicais; e percorre a recepção da ópera ao longo do tempo. O volume traz, ainda, a análise de Peter Robinson sobre a novela Carmen, de Prosper Mérimée, publicada em 1845, na qual Bizet se baseou.

 

3. "Nicolas Poussin: Ideia da Paisagem", de Magnólia Costa

Neste livro, Magnólia Costa analisa o gênero da paisagem em Nicolas Poussin (1594-1665) ancorada nos preceitos retóricos dos séculos XVI e XVII, os quais pautavam os debates nos círculos eruditos da época. Poussin usou a paisagem de forma inovadora ao mesmo tempo em que se manteve fiel às regras estabelecidas, o que lhe garantiu papel importante no desenvolvimento desse gênero de quadros na Academia Real de Pintura e Escultura de Paris. Para a autora, o desejo de fazer o melhor leva Poussin a entender a própria cena de paisagem como um lugar elevado, que ele constrói decorosamente, recorrendo ao modelo teatral retorizado do século XVI. A análise é complementada pela reprodução de obras do artista e de pintores seus contemporâneos e pelas inúmeras notas agrupadas na parte final do volume, contendo trechos nas línguas originais, traduções e comentários.

 

4. "Astrofísica de Altas Energias: Uma Premiére", de Jorge E. Horvath

Com o desenvolvimento tecnológico e científico do século XXI, várias questões que pareciam obscuras e quase inatingíveis no século anterior começaram a ter respostas concretas. Nessa categoria podemos incluir os objetos compactos remanescentes da evolução estelar, as supernovas, os núcleos galácticos ativos, os surtos gama e, mais recentemente, as ondas gravitacionais como uma nova "janela" para o mundo físico. Com base na sua experiência de vários anos ministrando aulas sobre o tema, Jorge E. Horvath apresenta este texto, desenhado e preparado para servir de elo entre as disciplinas básicas da física e a fronteira dos assuntos abordados, pretendendo atribuir um nível similar de complexidade às primeiras. Assim sendo, a exposição serve de preparo e introdução para uma abordagem completa dos fenômenos mais interessantes e complexos que a astrofísica contemporânea investiga nos dias de hoje e que despertam o interesse dos estudantes e do público em geral.

 


 


Tags da postagem

EDUSP