Obra clássica de Theodor W. Adorno ganha nova tradução pela Editora Unesp

Obra está disponível para compra no site da editora

Em 23/11/2020 03:00
Atualizado em 23/11/2020 15:39

Notícia por ABEU

Obra clássica de Theodor W. Adorno ganha nova tradução pela Editora Unesp

Um dos tópicos que mais caracterizam o legado filosófico do pensador Theodor W. Adorno, pertencente à chamada Escola de Frankfurt, é a reflexão crítica sobre a cultura de massas. Para representar seus escritos neste segmento, a Editora Unesp publica a coletânea "Indústria cultural", cujo conceito primordial foi cunhado por Adorno e Max Horkheimer, ainda no início da década de 1940, e aborda uma grande gama de assuntos: música, rádio, cinema, literatura, política, sociologia e filosofia.

Ao longo dos nove ensaios, selecionados dentre os mais representativos de sua produção sobre o tema, pode-se apreender uma significativa amostragem de textos sobre cultura de massas desde o início dos anos 1930 (portanto, antes mesmo do estabelecimento do termo “indústria cultural”), passando pelo final dessa década e início das de 1940 e 1950, até os anos 1960 – ocasião em que o autor retoma e atualiza conceitos estabelecidos na "Dialética do esclarecimento", com Horkheirmer.

Destaca-se nesta seleção a variedade de caminhos percorridos pelo pensador alemão, “seja a partir do fenômeno do kitsch, das características que a recepção da música assume quando realizada por meio da radiodifusão, do caráter específico do fetichismo que adere à mercadoria cultural, do impacto da televisão no cenário da cultura de massas, antes dominada pelo rádio e pelo cinema, da tutela da cultura pelos setores da administração pública e das consequências do imediatismo difundido pela indústria cultural numa ação política que se pretende revolucionária”, pontua, no prefácio, o pesquisador Rodrigo Duarte.

"Figura maior no panorama filosófico do século XX, Theodor W. Adorno foi responsável por uma experiência intelectual gerada pela confrontação incessante da filosofia com o 'campo da empiria', em especial a Teoria Social, a Crítica Literária, a Estética Musical e a Psicologia”, destacaram Eduardo Socha, Jorge de Almeida, Ricardo Barbosa, Rodrigo Duarte e Vladimir Safatle, membros da comissão editorial da Coleção Adorno. “Um dos públicos mais importantes de leitores universitários de Adorno encontra-se em faculdades de Comunicação e pós-graduações de Estudos de Mídia. Por isso, a edição de uma coletânea com alguns textos fundamentais sobre indústria cultural e cultura de massa visa, sobretudo, a alimentar o debate que ali se desenvolve”, destacou a comissão.

Isso também vale para outro relevante público-leitor de Adorno no Brasil: os pesquisadores e Psicologia Social e Psicanálise. “Pensar o atual teor de verdade do pensamento de Adorno significa, portanto, a dupla tarefa de repensá-lo em face dos dilemas do mundo contemporâneo e refletir sobre o quanto esses dilemas podem ser iluminados sob o prisma de suas obras.” 

A nova publicação está disponível para compra no site da Editora Unesp.


Tags da postagem

editora unesp