A universidade do encontro e da inclusão: conferência e mesas da 4ª SIIEPE (e-book)

Ano de publicação: 2019
Autor(es): Francisca Ferreira Michelon

As informações desta página são responsabilidade exclusiva de Editora UFPel. Saiba mais

	A universidade do encontro e da inclusão: conferência e mesas da 4ª SIIEPE (e-book) Passe o mouse sobre a foto

SINOPSE

Em 1918, a Universidade de Córdoba completava 345 anos de existência. Remanesciam muitos aspectos do período colonial no qual surgira. Conservadora, resistia às mudanças de um país e de um continente que aspirava entender-se para além da conjuntura dogmática do passado. Foi então, que um grupo de universitários liderou a greve geral, da qual resultou a Federação Universitária Argentina. A ela buscaram universitários de toda a nação, unindo-se ao pleito dos colegas de Córdoba. Em abril, o governo federal decidiu nomear um interventor para conter as manifestações dos universitários e instituiu um novo estatuto do qual adveio a eleição dos conselheiros das três faculdades que formavam a Universidade. No entanto, o reitor eleito pelo conselho foi, justamente, o nome mais conservador da disputa. A greve retornou com força redobrada, fortalecendo a Federação com o interesse que foi despertando no meio sindical e intelectual. O movimento culminou com a redação do Manifesto de Córdoba, que expressa, na celebração do seu centenário, a ainda atual aspiração de uma nova universidade. Em 2018, a Universidade Federal de Pelotas juntou-se aos debates que outras tantas universidades no Brasil e em outros países da América Latina, estão promovendo sobre o sistema de Educação Superior no continente. Os debates buscaram aprofundar a discussão sobre o papel das universidades frente à realidade do país, os conflitos sociais que nela se refletem, as possibilidades de promoção de conhecimentos que integrem, que fomentem e animem o compartilhamento e a comunhão do bem coletivo. Inspirado no Manifesto de Córdoba, o tema da IV Semana Integrada de Inovação, Pesquisa, Ensino e Extensão reitera o desejo dessa comunidade de que a educação superior seja um direito humano universal e um bem social. O livro que ora apresento reúne parte do que foi discutido durante a IV SIIEPE. Aqui se encontra, com destaque, o discurso de abertura do evento proferido pelo Coordenador Geral, o Prof. Luís Centeno do Amaral. Além de referir o conteúdo do evento, o texto conclama uma nova atitude por parte da comunidade universitária que diante do cenário nacional, nos quais as tensões políticas intensificam a animosidade e a discórdia, poderia usar o conhecimento como meio para pacificar as divergências polarizadas. Disponível em: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4443

Informações adicionais