Eu entro pela perna direita: espaço, representação e identidade do seringueiro no Acre

As informações desta página são responsabilidade exclusiva de Edufac. Saiba mais

Eu entro pela perna direita: espaço, representação e identidade do seringueiro no Acre Passe o mouse sobre a foto

R$20,00

SINOPSE

A presente obra é o resultado de uma pesquisa de campo de cunho antropológico feita entre os seringueiros do Acre, na região de Xapuri e no Seringal Cachoeira, atualmente Reserva Extrativista, status conquistado também graças às lutas sindicais e ecológicas vividas por Chico Mendes. A pesquisa se desenvolve principalmente dentro do tema espaço: são examinadas as razões histórico-econômico-sociais e produtivas que determinam a estrutura organizativa do espaço-floresta no qual os seringueiros desenvolvem suas atividades. A análise torna-se principalmente antropólógica quando aborda o tema da orientação, da representação e da percepção do espaço através da análise dos nomes atribuídos aos lugares, das técnicas utilizadas para não se perder, dos mapas realizados pelos interlocutores, das figuras mitológicas que ocupam e regulamentam o espaço-floresta. Através deste percurso chega-se por fim a algumas reflexões sobre o processo de construção de uma identidade seringueira, fortemente influenciada pelos significados atribuídos ao espaço. "Eu entro pela perna direita" é a expressão que todos os seringueiros utilizam para exprimir o próprio modo, original, de utilizar o espaço produtivo, o qual consiste em percorrer sempre as estradas de borracha no sentido anti-horário. A partir desta (...) surgem as reflexões antropológicas que deram vida a este trabalho. "Eu entro pela perna direita" é um convite para entrarmos juntos e conhecermos esse universo fascinante de um Povo da Floresta.

Informações adicionais

  • Peso: 0,11 Kg
  • Dimensões do produto
    • Comprimento: 23,00 cm
    • Altura: 2,00 cm
    • Largura: 18,00 cm