A formação dos patrimônios religiosos no processo de expansão urbana paulista (1850-1900)

As informações desta página são responsabilidade exclusiva de Editora Unesp. Saiba mais

A formação dos patrimônios religiosos no processo de expansão urbana paulista (1850-1900) Passe o mouse sobre a foto

R$60,00

SINOPSE

Em São Paulo, o avanço da lavoura do café, tocada por força de trabalho imigrante, propiciou a abertura de centenas de patrimônios religiosos, futuras cidades, num primeiro momento adiante das plantações, e logo após, tendo as lavouras ao seu redor, em áreas de terras devolutas, consideradas nos mapas oficiais como ¨terrenos despovoados¨. O termo patrimônio religioso, ou mais comumente, ¨patrimônio¨, foi bastante usual até meados do século XX, para designar povoados cujas origens vieram de terras aforadas pela Igreja Católica. De certa forma, a denominação tornou-se sinônimo de povoado, vila ou pequeno aglomerado urbano, ao menos até que o mesmo fosse elevado à sede de município, quando a designação ¨cidade¨ seria usualmente empregada.

Informações adicionais

  • Código de barras: 9788539300747
  • Peso: 0,40 Kg
  • Dimensões do produto
    • Comprimento: 23,00 cm
    • Altura: 2,00 cm
    • Largura: 18,00 cm